Artigo: As Mulheres Negras no Mundo Gifístico

20 de novembro de 2015 ás 21:20 | 1500 Views

Artigo: As Mulheres Negras no Mundo Gifístico

Negros parecem que incomodam. Incomodam tanto que a sociedade e a mídia preferem fingir que não existem, fazendo de tudo para separa-los, esconde-los e suprimili-los sempre que possível. Exemplos são o que não faltam, como mais recentemente o Miss Brasil tendo apenas uma modelo negra dentre 27 garotas, todas brancas do cabelo liso (e não […]




Negros parecem que incomodam. Incomodam tanto que a sociedade e a mídia preferem fingir que não existem, fazendo de tudo para separa-los, esconde-los e suprimili-los sempre que possível. Exemplos são o que não faltam, como mais recentemente o Miss Brasil tendo apenas uma modelo negra dentre 27 garotas, todas brancas do cabelo liso (e não preciso nem dizer quem ganhou, né?). 

 
Explain
 
Ou da falta de representatividade negra na TV, sendo em novelas, filmes ou séries, que em sua grande maioria tem o núcleo principal composto de gente branca. Ou quando usam de algo típico da cultura negra, mas que antes precisa passar por um “embranquecimento” para se tornar comercial, como o filme “Deuses do Egito”, baseado e passado na África, mas com o elenco refletindo um padrão europeu. Ah, e um alô pra novela “Os 10 Mandamentos” também! Falando em cultura negra, essa é uma das coisas mais problemáticas, afinal, todos sabem que cultura negra é bacana, mas negros não, sendo assim, manda mais apropriação cultural porque ta pouco!
19. You Didn't Have to be Here (Beautiful)
 
 
 
O separatismos e exclusão do povo negro se torna tão grande e evidente que por vezes até o próprio opressor percebe que “ta feião” e resolve deixar as coisas “mais iguais”. Ah, mas não se anime, pois os papeis reservados para eles não são de muito destaques. Sabe aquela vaguinha de personagem escada? O engraçadão, alívio cômico pra trama? O melhor amigo do protagonista? O bandido? A doida problemática histérica que fala alto? A que “bota pra quebrar” e é mestre em fazer movimentos circulares com a cabeça sem dar mal jeito no pescoço? Então, dá pro negro ou a negra que ta tudo bem. Aparecem, fazem a gente rir, levantam a moral do protagonista branco e vão embora. Não tem história, conflitos ou profundidade, mas afinal, foda-se não é mesmo? São só negros!
 
 
No entanto, na contramão da mídia e do mundo em geral, parece haver um lugarzinho especial onde tal racismo, por vezes velado, por outras bem explícito, não se faz presente. Aliás, aparentemente nem um tipo de exclusão parece ser tolerada no mundo gifístico, sendo ele um paraíso das classes oprimidas. Homem não tem vez, a não ser que seja bem viado. Mulheres mandam e desmandam na indústria, sendo as negras, aaahhh, justo as negras que sofrem de solidão no mundo real por conta do combo “racismo + machismo”, sendo renegadas até por grupos que deveriam apoia-las, sendo esquecidas nas pautas feministas por serem negras e ignoradas no movimento negro por serem mulheres, fazem parte do primeiríssimo escalão da indústria.
 
 
Pra começar temos Glória Maria. A maior jornalista brasileira é também uma das principais gifstars da indústria seja rodando o mundo ou focada em trabalhos mais pessoais.
1. Black, Pretty, Feminist
 
 
 Também temos Tiffany Pollard, a veterana e ícone da cultura americana que protagonizou cenas memoráveis nos programas por onde passou. 
Clap For Me
 
 
Há ainda Inês Brasil, sendo uma pessoa maravilhosa sempre pregando a liberdade e o amor entre os irmãos, que demorou pra ter seu talento reconhecido mas quando o teve, ninguém mais segurou. Mexe com ela pra tu ver!
13. Blue
 
Há a MC Carol, que é daqueles casos que tem tudo pra dar “errado” segundo a cartilha da sociedade (mulher, negra, gorda, pobre, favelada, desbocada) e que só de ter sucesso musical e gifístico se mostra um ato político ambulante. 
RED BEATVAI ENCARAR? (RED)
 
 
Tati Quebra Barraco vem logo em seguida com sua boa aceitação e respeito na indústria. 
3. Sixteen (Remastered Version)
 
 
Tem ainda Rihanna suprindo a classe das cantoras e que fez um belo estrago nos charts. 
Rihanna - Bitch Don't Let Me Throw My Money
 
 
Como se esquecer de Leona Vingativa, sempre fechativa e mais famosa que as noites de Paris? 
 
 
Da toda natural Garota da Laje? 
Vem
 
A grande garota que chora Iranete?
 
 
 Dos clássicos da Oprah Winfrey?
Enojada
 
Da persistente Zuzu? 
Pra completar ainda temos Alcione, a Angélica do BBB, Beyoncé, Laila Dominique, a População Revoltada, Rita Cocodilha e sua comparsa de delegacias Socorro Feirante, a shockante Rochelly Santrelly, Vera Verão e Verônica Ribeiro, que tem só no cabelo o que você ganha de salário!
Não Me Diga Isso
 
 
 
É lindo de ver toda essa diversidade nos charts com mulheres negras esbanjando sua negritude em nada menos do que gifs, essas imagens que se mexem na tela de milhões de pessoas mundo a fora. 
 
Mais do que um texto de exaltação da população negra no dia e mês da consciência negra, e longe do âmbito “bracos vs. negros”, a comemoração se deve por, apesar de o mundo e a mídia vomitarem conceitos e pensamentos racistas o tempo todo desde que nascemos e nos entendemos por gente, há ao menos um lugarzinho nesse mundo em que a diversidade prevalece de forma natural , onde os “sem voz” não só tem voz como são os protagonistas, e que nenhum tipo de intolerância é tolerada. E é motivo de orgulho esse lugar ser justamente o mundo gifístico, o nosso amado mundinho! Eu me orgulho, e você?
 
 
________________________________________________________________
 
 

Comentários